No limite! Com dívida de R$ 2.070.000,00 diretoria do Imperatriz, teme serias consequências trabalhistas.

O presidente Damião Benício dos Santos reuniu a imprensa esportiva, no início da tarde dessa quinta-feira (2), para falar da situação em que se encontra o Imperatriz no que se refere à situação financeira.

Damião Benício, Damião Benício na coletiva de ontem com os cronistas esportivos. Foto: Dema de Oliveiraentre outras coisas, denunciou que o Imperatriz tem uma dívida de R$ 2.070.000,00, distribuídos em reclamações trabalhistas de jogadores e funcionários, além de hotéis, empresas de ônibus e restaurantes.
O presidente disse que vai dirigir o time, como tem feito nos últimos meses, vai pagar os jogadores e tudo o que for de sua responsabilidade, mas não pode pagar pelo que os outros que passaram pela diretoria, principalmente em épocas mais recentes, fizeram. Por todos os lugares que o Imperatriz passou, tem uma dívida. “Eu disse para os meus jogadores que não dependo da renda para pagar o salário deles, nem tampouco para eu viver, agora é impossível eu bancar mais de dois milhões de uma dívida que já foi encontrada em pelo menos cinco estados do Brasil e a maioria de dívidas trabalhistas”, declarou.

Damião Benício explicou que até o momento, em sua gestão, o clube ainda não sofreu penhora, mas não sabe até quando vai contar com a boa fé da Justiça do Trabalho. “Todos nós sabemos que vai chegar a um ponto em que as rendas serão penhoradas, porque eu não tenho condições de pagar tudo que existe em reclamações trabalhistas contra o Cavalo de Aço”, enfatizou.
Damião pediu ajuda aos torcedores para que eles compareçam aos jogos em maior número, como também aos empresários da cidade, para que voltem a investir no Imperatriz. Segundo Damião, o que o Imperatriz recebeu até agora de ajuda financeira foi R$ 70 mil, oriundo da Cemar e o lucro de R$ 40 mil das rendas dos três jogos que foram realizados no Frei Epifânio. Tem um projeto de ajuda financeira que foi dado entrada na Câmara Municipal, através do vereador Rildo Amaral, mas que até o momento ainda não foi colocada em pauta para ser apreciada pelos edis.
Uma conta corrente da Caixa Econômica Federal (CEF) foi disponibilizada para quem quiser ajudar o Cavalo de Aço. C/C: 2135-5, Agência 3151, operação 003.

Por Dema de Oliveira/ Crônista esportivo