Em coletiva, Damião Benício diz que pode renunciar presidência do Cavalo de Aço.
Publicado: 03/03/2017 05h35

ImperatrO clima seria de incertezas? Jogadores do Imperatriz em conversa com Sinomar. Foto: Jeremias Alves/ esporte7.comiz - O presidente da Sociedade Imperatriz de Desportos (SID), Damião Benício dos Santos, convocou uma coletiva com a crônica esportiva da cidade, na tarde desta quinta-feira (2), no Parrilla Restaurante, onde fez uma explanação da saúde financeira de momento do Cavalo de Aço. Ele explicou que os salários dos jogadores e comissão técnica estão em dia e que até o fim do estadual vai cumprir, rigorosamente, todos os compromissos assumidos com estes profissionais.

Damião lamentou a falta de apoio por parte do poder público, tanto municipal quanto estadual, além da classe empresarial e do torcedor, este com pouca participação nos jogos do time em Imperatriz, pelo Campeonato Maranhense. O presidente do Cavalo de Aço informou que a maior dificuldade que ele tem encontrado para administrar o clube é por conta das dívidas que o Imperatriz tem acumulado nos últimos anos. O mandatário disse que o clube acumula débitos em toda a cidade, que vai de restaurantes a lojas de material esportivo, mas o que mais preocupa são as dívidas trabalhistas espalhadas em vários estados do Brasil.Até agora, graças a Deus, não apareceu nenhuma penhora de renda, mas com certeza vai aparecer, principalmente quando o estádio estiver lotado. Eu não tenho como quitar essas penhoras, já que preciso pagar os salários dos jogadores e comissão técnica” – disse Damião.

O presidente do Cavalo de Aço aproveitou a presença de vários órgãos de comunicação na coletiva para fazer um apelo. – “Quero pedir aos empresários da cidade que façam como eu, ajude o time, mesmo que seja com R$ 500,00. O time não é meu, é nosso, é da cidade. Que o torcedor se associe ao clube e vá ao estádio, porque até agora, a única fonte de renda está sendo a bilheteria” – finalizou.

Damião Benício informou, ainda, que a única receita que o clube recebeu até agora, foram R$ 70 mil reais da Cemar, através da Lei de Incentivo ao Esporte e R$ 40 mil de renda, somando os 3 jogos realizados em casa. Perguntado se ele poderia renunciar a presidência do Imperatriz, Damião foi direto. – Se as pessoas, o poder público, a classe empresarial e os torcedores não abraçarem o clube, junto comigo, não vou ter outra saída, vou deixar o time após o estadual”.

Por Carloto Júnior /Crônista esportiva

 

Anuncios
Curta nossa FãPage
Previsão do Tempo




Cadastre-se seu e-mail ESPORTE7 NEWSLETTER